Générateur portugais de faux textes aléatoires

Lorem ipsum a généré 40 listes pour vous.
Vous pouvez utiliser ce texte lorem ipsum dans vos maquettes, sites web, design, ebook... Le texte généré aléatoirement est libre de droit.

Le faux texte a bien été copié

  • Jupiter acode lhe Senão diriam filha que as guardavamos
  • linda côr Não ha flôr de côr mais linda Mas a tua côr ainda
  • admira a mim que a crystallina Tão pura onda do mar que espelha
  • baixo abala Deixa em podendo o collo Tão terno que te embala
  • braços Te desbotasse as côres Passavam os abraços
  • dispara a setta envenenada Á pombinha que aos ares despedira
  • consciencia Que me accusava do crime De negar á Providencia
  • prende me a terra A mim e eu Como hei de perfumar te em valle
  • tempo simplesmente A flôr que vai nascendo e mais valia Seres
  • ainda tão baço De luz tão pouco brilhante Que se media a compasso
  • podias Maria andar tapada Só com o teu cabello á semelhança
  • valle ambas irmãs nascidas fomos És como eu sou E amamo
  • Prestes se inda na rocha de granito D onde em tempo
  • Porém quem é que apanha o aereo véo Da nuvem da montanha
  • tambem Amparando me tu a mim nos braços Eu seguia te os passos
  • Consolos não te dou que não existe Quem de lagrimas suas nunca
  • vezes que a onda cáia Ha uma rocha uma praia Aonde
  • mysterio é tudo Folhinha d herva e estrella Não ha comprehendêl
  • trouxe me rosas E nada mais natural Mas eu prendas tão mimosas
  • desventura Oh destino cruel Vejo as ainda ir com as mãos incertas
  • montes vi tambem Nos vastos horisontes mais alguem Nos tristes
  • cinza em terra em nada Meu sêr converte ó luz Mas sempre sempre
  • suspira E levanta o collo ao céo Vê vir raiando a aurora
  • Girar talvez Em quanto a minha sombra meus amores
  • quando penso bem n esse mysterio Da virtude infeliz vai teu caminho
  • largo espaço Que te não vejo espero Lhe contes o que eu passo
  • passa á maneira Assim d um caracol Áquella farrobeira
  • olhar Receio E desejo estar sempre a contemplal
  • Pobre musgo descuidado Sem olhos para chorar Sem poder alliviar
  • eternamente Não deu nunca um suspiro Em prova de que sente
  • quando abraço e beijo O travesseiro e assim Acórdo
  • lagrimas d amor Vê n esse espaço immenso Os astros como estão
  • concebo Como Deus me creasse Para tormento eterno
  • essencia mãi que a flôr exhala Na essencia d uma flôr
  • Intima voz do fundo bem do fundo D alma me diz e as lagrimas
  • Gaspar Que eu cá por mim bem sabes como eu sou Mas é que outro
  • Pára quando a engole Aquelle mar sem fundo Nem pára
  • ellas mãi e irmã cinzas cobertas D um só jacto de terra
  • Astros fio me em vós e Deus permitta Que os infelizes sempre
  • Peço perdão commovi me E n um extasi sublime Lagrimas de penitencia