Générateur portugais de faux textes aléatoires

Lorem ipsum a généré 35 listes pour vous.
Vous pouvez utiliser ce texte lorem ipsum dans vos maquettes, sites web, design, ebook... Le texte généré aléatoirement est libre de droit.

Le faux texte a bien été copié

  • sombra d altos edificios Miudissimas flôres De tão subtís
  • imagem pura Ah sobrevive ao nada E escapa á sepultura Tão fresca
  • essencia mãi que a flôr exhala Na essencia d uma flôr
  • Passavam os amores Oh não mil vezes antes No céo lá onde habitas
  • montes vi tambem Nos vastos horisontes mais alguem Nos tristes
  • passa á maneira Assim d um caracol Áquella farrobeira
  • prende me a terra A mim e eu Como hei de perfumar te em valle
  • Porque ha quem os attráia É essa eterna paz Que a mim de praia
  • Deixa que a nuvem negra tolde a lua Se a leva a tempestade Deixa
  • Minerva brada o pai d homens e deuses És quem de todos sabes
  • gente cança Cança de estar olhando e sempre vendo Um novo encanto
  • Astros fio me em vós e Deus permitta Que os infelizes sempre
  • admira a mim que a crystallina Tão pura onda do mar que espelha
  • abrazo É como a luz da fé Que além de cega apaga O facho
  • Botão de rosa murcho á luz da aurora Que peccado equilibra
  • cinza em terra em nada Meu sêr converte ó luz Mas sempre sempre
  • Gaspar Que eu cá por mim bem sabes como eu sou Mas é que outro
  • mysterio é tudo Folhinha d herva e estrella Não ha comprehendêl
  • ainda o pranto corria E o cabello me batia No rosto que me doía
  • Confessa rosa animada Que és outra casta de flôr
  • Minha senhora Thuribulo suspenso inda fluctuo Em quanto
  • pallido Maria O pensamento Não é trabalho que nos dê saude
  • desventura Oh destino cruel Vejo as ainda ir com as mãos incertas
  • Quizera nos meus cofres de poeta Ter as riquezas todas do Oriente
  • Porém quem é que apanha o aereo véo Da nuvem da montanha
  • Emilia não vês a lua Como vacilla e fluctua Ora avança
  • Pára quando a engole Aquelle mar sem fundo Nem pára
  • baixo abala Deixa em podendo o collo Tão terno que te embala
  • largo espaço Que te não vejo espero Lhe contes o que eu passo
  • trouxe me rosas E nada mais natural Mas eu prendas tão mimosas
  • tenho um moreno Tenho um de outra côr Tenho um mais pequeno
  • beijo Se apenas o dou Desfaz se me o pejo E o gosto ficou
  • ainda tão baço De luz tão pouco brilhante Que se media a compasso
  • braços Te desbotasse as côres Passavam os abraços
  • quando abraço e beijo O travesseiro e assim Acórdo